segunda-feira, 8 de outubro de 2012

O Último Reino #Resenha

Postado por O Livreiro² às 13:37

 Saudações guerreiros do Norte, lanças afiadas e machados ensanguentados? 

 Infelizmente não. Porém, admito, que garoto nunca sonhou em conquistar terras, salvar as donzelas de um vilão sanguinário?

 Mas quem disse que as lutas eram bonitas e os deuses da guerra festejavam no Palácio de Odin? 
 Bardos eram pagos pra criar poemas e cantigas que deveriam exaltar e ser espalhados por todos os reinos como prova de que um homem pode ir contra milhares desde que a honra e os deuses estivessem ao seu lado.

 Enfim, guerreiros, O Último Reino faz parte de uma série escrita pelo escritor britânico Bernard Cornwell.

 A paz não foi feita pro homem, ou talvez possamos considerar que a paz é um prenúncio da guerra e são escassos os tempos em que há uma paz mundial.
 O homem sempre decide derramar sangue alheio e oferecer sua vida por algo, seja um ideal, uma teologia ou até mesmo pelo puro prazer de manchar a terra de vermelho.

 Bernard Cornwell é um autor britânico que nesse livro mostra seu domínio da cultura inglesa e seu dom em hipnotizar os leitores com simples palavras. Não podemos negar, ao ouvir a palavra sangue todos nós prestamos atenção, somos sanguinários, esse é nosso instinto. Paremos com o hidromel e vamos a história.

 Uhtred é um pequeno príncipe inglês que se vê raptado durante uma invasão dinamarquesa e, ao passar do tempo, descobre que todas as suas terras que agora deveriam lhe pertencer foram usurpadas por seu próprio tio. Logo, não vê mais saída a não ser esquecer toda sua história e viver com os temidos bárbaros dinamarqueses, adotando sua religião e brindando em nome dos olhos de Odin.

  Conforme Uhtred vai crescendo, começa a odiar a Inglaterra e todo seu cristianismo fanático por alguma entidade que nunca parece presente chamada Deus, afinal se Deus existe e protege todos seus filhos, por que ele havia sido raptado quando criança?
  Questionando a si mesmo sobre Ele, acaba concluindo que milagres e Deus são como os mitos, só servem para assustar ou iludir pessoas ingênuas e fracas que uma espada não servem para segurar e proteger suas próprias vidas.

 Nessas reviravoltas emocionantes, a guerra entre reinos já se fazia iminente, e é exatamente isso que acontece.

 Para não soltar spoilers tenho que parar a resenha bruscamente por aqui, mas permito-me dizer que esse livro é recheado com romances, guerras e mortes, extremamente regado a sangue e batalhas e um toque especial de guerras religiosas.

 Paredes de escudos, guerreiros invencíveis e prisioneiros indomáveis tudo isso você encontra nesse cativante livro de Bernard Cornwell.

 Mantenham suas espadas afiadas, bárbaros. A guerra caminha ao lado da morte, mas que os ventos soprem teus navios.

 Enfim, voltemos ao hidromel.

2 comentários:

Sammy on 7 de maio de 2012 14:10 disse...

Bela resenha! Fiquei encantada com a beleza que esse livro deve ser, imaginando como viria a ser essa trama! Ótima dica de leitura!

Bjs

www.daimaginacaoaescrita.com

Vagner Stefanello on 5 de novembro de 2012 15:35 disse...

Esse livro já faz parte da minha vida! Li na metade deste ano e até hoje não consigo parar de pensar na história de Uhtred. A narrativa de Cornwell é sangrenta e nos instiga a continuar cada vez mais.

Boa resenha e leia logo o próximo livro. É melhor do que esse!

http://desbravandolivros.blogspot.com.br/2012/08/resenha-o-ultimo-reino-bernard-cornwell.html

Postar um comentário

O seu comentário é importante para nós. Comente. :)

 

Confins da Leitura Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos