sábado, 28 de julho de 2012

Batman Ressurge #Cineresenha

Postado por O Livreiro² às 19:40 6 comentários


 Batman, O Cavaleiro da Trevas Ressurge é um filme com uma história digna de Oscar, inspirado nos quadrinhos da DC criaram um filme instigante, inspirador e beirando à perfeição. Com um elenco impressionante

Oito anos depois do afastamento de Batman das cenas dos crimes, a cidade mudou tremendamente.

Gothan City vive uma época de paz pela morte de Dent que inspirou a criação da Lei Dent, e por consequência, permitiu colocar os criminosos nas cadeias;


 Abaixando assim os índices de violência na cidade. Batman, acusado de assassinar o promotor público, não é visto desde então, vivendo em exílio em sua própria mansão.

Tenho que notar a diferença do Coringa para o Bane, o Coringa é um vilão frio e psicologicamente perturbado, dando a trama uma profundidade maior. Porém Bane é um vilão frio e calculista, mas ao mesmo tempo tem uma história também dramática o que adiciona a qualquer telespectador um pouco de dó e mais profundidade a trama, papel antes que era do Coringa.

Minha opinião é que Batman é um filme exemplar, com ótimos cenários e detalhado dando um aspecto mais complexo ao filme, porém não é um filme fácil de entender se você não acompanhou os outros filmes da saga, o que deixou a maioria confusa, afinal, quase todos esqueceram dos eventos acontecidos nos outros filmes.

Outro destaque importante é a trilha sonora, as músicas certas para os momentos certos, e a tensão presente em todos os momentos do filme também é crucial. As reviravoltas acontecem toda hora, e é um filme definitivamente perfeito.


Anne Hathaway como Mulher-Gato
 Outro grande destaque é que esse filme é definitivamente único, e comparando com a Marvel, muito melhor. Desse vez não temos que aturar as indecisões adolescentes de Homem-Aranha, nem um vilão malfeito, também não temos que aturar deuses virando quadrinhos como a Marvel fez com Thor, Loki ou Odin.

Acho que os produtores exageraram nos trajes da Mulher-Gato, como fizeram outros em Vingadores, com um decote exagerado que fizeram, com razão, vários marmanjos ficarem boquiabertos.
Com um elenco impressionante considero esse o melhor filme do ano, muito melhor que Harry Potter, The Avengers, ou qualquer pseudo-modinha que anda acontecendo por aí.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Lendo nas Aulas #Promoção

Postado por O Livreiro² às 23:37 56 comentários








 Para a maioria das pessoas as aulas/trabalhos estão voltando e com o intuito de deixar esse período mais feliz, 4 blogs se uniram para presentear 1 sortudo. E, afinal, nada melhor a fazer do que passar as horas tediosas da aula lendo, concorda?
a Rafflecopter giveaway

Boa sorte à todos.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Qual o livro mais caro do mundo?

Postado por O Livreiro² às 20:51 0 comentários
Ilustração de Codex Hammer.
  Por enquanto, o recorde vai para o Codex Hammer, um manuscrito do inventor italiano Leonardo da Vinci leiloado por nada menos que 30,8 milhões de dólares em 1994.  O feliz proprietário desse tesouro renascentista é o bilionário Bill Gates, dono de uma fortuna de 40,7 bilhões de dólares.

 Considerado o homem mais rico do mundo, o dono da Microsoft abriu o bolso para adquirir esse "bloco de notas" de Da Vinci, um livrinho de 18 páginas duplas em que o gênio italiano relatou suas observações sobre geografia, astronomia e meteorologia. No pódio das obras que custam os olhos da cara, as medalhas de prata e de bronze também vão para outros dois manuscritos: The Gospels of Henry the Lion (em português, algo como "Os Evangelhos de Henrique, o Leão"), uma obra do século 12 arrematada por 14,6 milhões de dólares em 1983, e o livro de preces do século 16 The Rothschild Prayer Book, vendido por 13,4 milhões em 1999. "Os manuscritos são caros porque são únicos. Além do texto, alguns deles são ilustrados com verdadeiras obras de arte", diz o bibliófilo José Mindlin, dono de uma biblioteca particular de 30 mil volumes em São Paulo.

 Códex Hammer refere-se a uma compilação de textos e desenhos de Leonardo da Vinci que foram coletados entre 1508 e 1510.

 Esse trecho foi retirado de um artigo da revista Mundo Estranho.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Para Sempre #Resenha

Postado por Willian Iuri às 17:42 3 comentários
Autor: Kim e Krickitt Carpenter
Editora: Novo Conceito
Páginas: 142

Sinopse: A vida que Kim e Krickitt Carpenter conheciam mudou completamente no dia 24 de novembro de 1993, dois meses após o seu casamento, quando a traseira do seu carro foi atingida por uma caminhonete que transitava em alta velocidade. Um ferimento sério na cabeça deixou Krickitt em coma por várias semanas. Quando finalmente despertou, parte da sua memória estava comprometida e ela não conseguia se lembrar de seu marido. Ela não fazia a menor ideia de quem ele era. Essencialmente, a "Krickitt" com quem Kim havia se casado morreu no acidente, e naquele momento ele precisava reconquistar a mulher que amava.


Ponto Forte: O livro tem uma história muito boa, e além de tudo, foi escrito pelos próprios personagens. O casal que vivenciou tudo aquilo, o que torna as coisas muito mais reais. Krickitt é doce e gentil, apesar de não sabermos muito de sua personalidade no livro. Kim é um homem batalhador e romântico. Juntos formam um casal perfeito. Sem falar que o adaptaram ao cinema, o que é muito bom - pelo menos para mim. Usaram atores ótimos, para fazer personagens ótimos, até que ...

Ponto Fraco: Para começar, antes de pensar em lê-lo, minhas expectativas estavam nas alturas. Devido às resenhas e pela história também, minha vontade em ler esse tão esperado livro, foi tão grande que fui e comprei. Li e me arrependi. Gosto de romances, na verdade, adoro, mas se tem uma coisa que odeio em livros, são quando correm com a história, e não dão tantos detalhes quanto deveriam, e fazem tudo virar um resumo do que realmente deveria ser, e assim é Para Sempre.

Não vi o filme, mas o livro me decepcionou. A história até que é boa, mas além de ser muito pequeno o livro, é super pobre em termos de vocabulário e enredo. Acho que deveriam explorar mais o momento em que ela diz não conhecer seu marido, achei tudo muito vago. Dei a nota três, porque apesar de tantos defeitos, ele tem lá suas qualidades

Abaixo o Book Trailer do livro. Confiram.

Rocco divulga Banner de Herança #Notícias

Postado por O Livreiro² às 14:41 1 comentários

sábado, 21 de julho de 2012

Branca de Neve e o Caçador #Filme

Postado por Willian Iuri às 12:06 1 comentários
Lançamento: 1 de Junho de 2012
Dirigido por: Rupert Sanders
Protagonistas: Kristen StewartChris HemsworthCharlize Theron
Duração: 2h 6min
Gênero: Fantasia, Ação, Aventura


 Um rei viúvo caiu de amores por Ravenna (Charlize Theron) sem saber de seus terríveis planos de conquista e acaba morrendo, deixando para ela todo o seu reino. Para piorar a situação, a filha dele foi jogada em uma masmorra e lá ficou até se tornar uma bela jovem. Obcecada pela beleza e pela juventude, a Rainha não se cansa de perguntar ao seu oráculo para saber de existe alguém mais bela do que ela, até o dia em que a resposta não a agradou. Felizmente, Branca de Neve (Kristen Stewart) consegue fugir sem que seu coração seja arrancado e Ravenna se torne poderosa para sempre. Mas a malvada não desiste fácil e além da ajuda do irmão, um fiel escudeiro, ela contrata Eric (Chris Hemsworth), um exímio caçador para trazer sua presa de volta. Só que ele acaba descobrindo que a missão era um grande erro e vai ajudar a jovem em sua cruzada contra o reinado da malévola. Para isso, eles contarão também com o importante apoio dos seres da floresta e dos unidos sete anões mineiros.

 Uma rainha, tinha o sonho de ter uma menina, para que lhe sucedesse o trono real. Num dia nevoso, a rainha foi ao seu jardim e ali viu uma linda rosa. Quando foi tocá-la, um espinho a cortou e ali ela teve a certeza, de que queria ter uma filha branca como a neve, com cabelos negros como um corvo e com lábios vermelhos como aquela rosa. Após nascer, a rainha lhe deu um nome... chamou-a de Branca de Neve.

Após alguns anos, Branca de neve era uma criança, e tinha em mãos, um reinado. Órfã de mãe, ela se divertia como podia com seu grande amigo, William - meu xará. Após uma grande batalha vencida, o rei achou uma mulher como "prisioneira" do tal exército e decidiu levá-la ao seu reino, seu nome era Ravenna.

O rei caiu de amores por ela, e a pediu em casamento. Em sua lua de mel, Ravenna mata o rei, e assume o reino da pior forma possível. Separados, William e Branca de Neve nunca mais se viram, até porque, a madrasta aprisionou a princesa na torre mais alta do castelo, até se tornar uma adulta.

Branca de Neve consegue fugir, tirando da rainha, seu título de mais bela. A rainha ficou enfurecida, pois sem esse título, ela não seria imortal, porque até aí, ela se alimentava da vitalidade e da jovialidade das pessoas.




O filme tem ação do início ao fim. Kristen me surpreendeu com suas expressões - visto que como Bella, sua falta de expressão é marcante. Não poderia ter sido melhor como Branca de Neve. Confesso que fiquei muito receoso para ver esse filme, achei que não iria gostar e me surpreendi com a aventura proposta pelo filme. O caçador ficou muito bom também, bem cara de caçador que ele ficou. A atuação foi perfeita, mas quem realmente arrasou foi Ravenna (Charlize Theron). Sua atuação foi show, e ela foi uma perfeita madrasta. Seus olhares maléficos me davam medo, e as cenas de ódio dela, quase todas, eram geniais.

Mas o filme tem um ponto fraco, o final. Não gostei do final e achei um tanto sem graça. Mas com final, ou sem final, o dinheiro investido no ingresso valeu a pena. Recomendo.



Dica de como sobreviver em contos de fadas: Não coma maças. [Risos.]

terça-feira, 17 de julho de 2012

The Glee Project #Séries

Postado por Willian Iuri às 19:01 2 comentários
Hoje, vamos falar de The Glee Project. Um reality show, onde escolhem um dos participantes, que vão participar da próxima temporada de Glee.



Aqueles que gostam de Glee, vão lembrar desses quatro nomes: Damian McGinty, Samuel Larsen, Alex e Lindsay Newell PearceEles não aparecem apenas fora do ar, no entanto: todos os quatro eram candidatos em um reality show chamado The Glee Project.
Com o fim da primeira temporada e o início da segunda temporada de The Glee Project, os competidores estão muito mais fortes e fica muito mais difícil a escolha de um preferido, mas tenho os meus, cinco na verdade. E para quem não sabe, um membro do elenco Glee por episódio vem no programa para orientar o competidor que eles acham que fizeram o melhor trabalho no seu solo na lição do Grupo. Após isso, os competidores, vão a uma aula de coreografia e ao estúdio de gravação, onde gravam uma musica, cada um com pequenos solos, e parte da musica, cantam todos juntos. Os julgados três piores na apresentação e no vídeo clipe, são convocados a uma apresentação ao Ryan Murphy, co-criador e diretor de Glee, e ele decide qual dos três sai.



Abaixo, o primeiro video-clipe que eles fizeram, na segunda temporada. A musica Edge of Glory, da Lady Gaga. Confiram.

  

sábado, 14 de julho de 2012

Sangue Quente #Resenha

Postado por Pamela Moreno Santiago às 00:05 1 comentários
Bom dia gente! Sou a Pamela e estou aqui hoje colaborando com o blog do querido Gabriel. Só pra avisar, a resenha abaixo ja foi postada no blog ^^. Espero que gostem!




Sangue Quente
Autor: Isaac Marion
Editora: Leya
Nota:



Sinopse: R é um jovem vivendo uma crise existencial - ele é um zumbi. Perambula por uma América destruída pela guerra, colapso social e a fome voraz de seus companheiros mortos-vivos, mas ele busca mais do que sangue e cérebros. Ele consegue pronunciar apenas algumas sílabas, mas ele é profundo, cheio de pensamentos e saudade. Não tem recordações, nem identidade, nem pulso, mas ele tem sonhos. Após vivenciar as memórias de um adolescente enquanto devorava seu cérebro, R faz uma escolha inesperada, que começa com uma relação tensa, desajeitada e estranhamente doce com a namorada de sua vítima. Julie é uma explosão de cores na paisagem triste e cinzenta que envolve a "vida" de R e sua decisão de protegê-la irá transformar não só ele, mas também seus companheiros mortos-vivos, e talvez o mundo inteiro. Assustador, engraçado e surpreendentemente comovente, Sangue Quente fala sobre estar vivo, estando morto, e a tênue linha que os separa.

Nunca me apaixonei tanto por um zumbi como em Sangue Quente. R é doce, com um espírito de vencedor e não desiste de mudar o que é, mesmo que por vezes isso seja impossível. O cheiro da energia vital dos seres humanos é como se fosse o melhor aroma existente no mundo. O sabor do sangue, como se fosse o mais saboroso e antigo vinho.
Isso muda quando ele encontra Julie em um dia de caçada. Ele acaba devorando e matando o namorado dela, Perry, e a partir de então ele não deixa a mente de R em paz. Lembranças de momentos vividos ao lado dela vêm a tona a todo momento. Com ela, ele aumenta a possibilidade da fala e se expressa melhor. Com ela, ele descobre o que é o amor após a morte.
O enredo traz a realidade não somente uma história clichê de zumbis, mas também um reflexo da sociedade, da natureza humana, com sua beleza e sua podridão.
O final é surpreendente, pois traz uma característica que a maior parte dos livros, filmes e seriados sobre o tema dizem ser impossível de ocorrer.
Outro ponto interessantíssimo foi a diagramação que a Editora Leya deu ao livro. A cada início de capítulo vem com o desenho de uma parte do corpo humano, tendo tudo a ver com a temática do mesmo, além da folha amarelada, que é melhor para se fazer a leitura.
Diferente de outras editoras, a revisão e tradução estão impecáveis. Não pude perceber nenhum erro de grafia, ortografia ou de termos encaixados sem sentido. Só tenho a parabenizar!
E fica a dica para quem gosta de livros com teor “sobrenatural”. Já está sendo rodada a filmagem de Sangue Quente, que tinha previsão de lançamento para este ano. No momento, as informações indicam que deve ser lançado em 1 de fevereiro de 2013 no exterior e sem previsão de estreia no Brasil. A direção fica por conta de Jonathan Levine. Abaixo, uma foto referente ao meu amado R, nas filmagens do filme:


Sobre o autor: Isaac Marion nasceu em Washington em 1981 e viveu toda a vida na zona de Seattle. Teve vários empregos bizarros, incluindo entregar camas hospitalares a doentes em estado terminal e supervisionar visitas parentais com crianças entregues à tutela do Estado. Não é casado, não tem filhos, não tem estudos universitários e nunca ganhou prêmios literários. Sangue Quente é o seu primeiro romance.

Originalmente no blog O Leitor: http://oleitor2.blogspot.com.br/



quarta-feira, 11 de julho de 2012

A Vida em Tons de Cinza #Resenha

Postado por Willian Iuri às 17:27 4 comentários
Autor:  Ruta Sepetys
Editora: Arqueiro
Páginas: 240

Sinopse: Lina Vilkas é uma lituana de 15 anos cheia de sonhos. Dotada de um incrível talento artístico, ela se prepara para estudar artes na capital. No entanto, a noite de 14 de junho de 1941 muda para sempre seus planos. Por toda a região do Báltico, a polícia secreta soviética está invadindo casas e deportando pessoas. Junto com a mãe e o irmão de 10 anos, Lina é jogada num trem, em condições desumanas, e levada para um gulag, na Sibéria. 

Lá, os deportados sofrem maus-tratos e trabalham arduamente para garantir uma ração ínfima de pão. Nada mais lhes resta, exceto o apoio mútuo e a esperança. E é isso que faz com que Lina insista em sua arte, usando seus desenhos para enviar mensagens codificadas ao pai, preso pelos soviéticos. A vida em tons de cinza conta a história de um povo que perdeu tudo, menos a dignidade, a esperança e o amor. Para construir os personagens de seu romance, Ruta Sepetys foi à Lituânia a fim de ouvir o relato de sobreviventes dos gulags. Este livro descreve uma parte da história muitas vezes esquecida: o extermínio de um terço dos povos do Báltico durante o reinado de horror de Stalin. Para Estônia, Letônia e Lituânia, essa foi uma guerra feita de crenças. Esses três pequenos países nos ensinaram que a arma mais poderosa que existe é o amor, seja por um amigo, por uma nação, por Deus ou até mesmo pelo inimigo. Somente o amor é capaz de revelar a natureza realmente milagrosa do espírito humano.

Ponto Forte: Sinceramente, achei o livro um tanto quanto especial. Ele me fez lembrar O Menino do Pijama Listrado, um livro espetacular, o que consequentemente, o torna também especial.

De cara me apaixonei pela capa. Essa espécie de analogia, entre uma pequena plantinha, se desenvolver num lugar onde isso jamais aconteceria, é fantástico.

A situação em que as pessoas se encontravam era lamentável, e doía em mim, em saber como as pessoas eram tratadas, ou como alguém seria capaz praticar atrocidades assim, com seres humanos, animais, uma verdadeira tragédia. Apesar de tantas coisas ruins, houve amor. Lina conseguiu se apaixonar, mesmo que uma paixão não tão avassaladora, esse livro pode ser considerado um romance sim. Não um romance homem-mulher, um romance, mãe-filhos. Um amor maior que o mundo, e aí sim, podemos medir o amor de uma mãe.

 Ruta, nos faz mergulhar nesse mundo, que ninguém conhecia, um novo mundo. As características dadas por ela, são tão realistas, que senti dores junto das personagens. Mágico.
 Ao passar das páginas a história foi me comovendo, me surpreeendendo e principalmente me conquistanto. Foi impossível não ficar agitado, querendo quebrar a cara do Stalin. Idiota. Recomendo demais.

Ponto Fraco: Não chega nem a ser um ponto fraco, é mais uma opinião exclusivamente minha. Acho que o livro teria maiores emoções, se Hittler estivesse mais presente, mostrando as guerras, na Lituânia. Crianças se tornaram adultos muito fácil, como por exemplo, um menininho tinha por volta dos 9 anos, e agia como um adulto, e isso sim, é realmente algo estranho, quando você lê.

sábado, 7 de julho de 2012

Os Senhores do Norte #Resenha

Postado por O Livreiro² às 13:29 4 comentários
[Este livro é extremamente recomendado para vestibulandos.]

 Sinopse:
Depois de lutar ao lado do rei Alfredo na batalha que assegurou Wessex como único reino independente da Inglaterra, Uhtred decide retornar à Nortúmbria, em busca da irmã de criação. No entanto, o jovem encontra um cenário desolador, uma aterra assolada pelo caos e barbárie. Ele se alia então a Guthred, ex-escravo determinado a se tornar rei da Nortúmbria. Juntos, seguirão até Dunholm, em busca da cabeça do senhor viking Kjartan.

Resenha:

Os Senhores do Norte é o terceiro volume da saga do balacobaco Crônicas Saxônicas do autor britânico Bernard Cornwell. A saga narra a história de Uhtred um pequeno saxão e herdeiro de uma fortaleza, que teve seu trono usurpado pelo próprio tio e foi mandado como escravo as terras do Norte. Crescendo em meio à cultura nórdica, Uhtred aprende a louvar os deuses nórdicos, se distanciando cada vez mais do catolicismo que abrangia sua terra natal.

Depois de livrar Wessex dos contínuos ataques dinamarqueses, ele decide voltar ao seu passado quase esquecido, e buscar a vingança de Thyra, uma garota que foi abusada e sequestrada pelos seus inimigos à anos.

Cornwell consegue com maestria dar continuidade ao épico que conseguiu criar nos livros anteriores. Uma história surpreendente, complexada por traições, guerras e romances.

Uhtred, posso dizer, é o personagem mais azarado que já criaram, dando a história um toque de realidade. Enfim, Bernard Cornwell costura um épico, esquecendo de clichês e deixando a história imperdível.

Quote do livro:

“Porque o destino não pode ser enganado, ele nos governa, e todos somos seus escravos.” 

Leia as resenhas dos outros livros da saga:

Livro 1 - O Último Reino: aqui
Livro 2 - O Cavaleiro da Morte: aqui

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Lutando pelo Mundo #Promoção

Postado por O Livreiro² às 18:13 8 comentários
 As datas comemorativas passam, mas meu carinho pelo blog e os nossos fiéis (e que os novos sejam bem-vindos) leitores não.

 Pensando nisso, eu e a Pamela do blog O Leitor criamos uma promoção bem legal valendo um livro e vinte marcadores. 

Preenche logo o formulário e deixe a Pamela feliz.

a Rafflecopter giveaway

Boa sorte. E logo temos resenha nova no blog, caso queiram alguma resenha de algum livro específico é só deixar nos comentários o nome dele. 

quarta-feira, 4 de julho de 2012

O Cavaleiro da Morte #Resenha

Postado por O Livreiro² às 14:26 2 comentários
[Este livro é extremamente recomendado para vestibulandos.]

Sinopse: O Cavaleiro da Morte é um belíssimo relato de lealdades divididas, amor relutante e heroísmo desesperado. O livro começa no dia seguinte aos eventos de O último reino, primeiro volume da série. São tempos terríveis para os saxões. Derrotados pelos vikings, Alfredo e seus seguidores sobreviventes procuram refúgio em Æthelingæg, a região a que ficou reduzido o reino de Alfredo. Aí, encobertos pela neblina, viajam em pequenos barcos entre as ilhas na esperança de se reagruparem, e encontrarem mais apoio.

  Ao reunir o Grande Exército, os vikings têm apenas uma ambição: conquistar Wessex. Quando atacam em uma escuridão impiedosa, Uhtred se vê surpreendentemente do lado de Alfredo. Aliados improváveis: um rei cristão devoto e um pagão que vive da espada. Alfredo é um erudito; Uhtred, um guerreiro cheio de arrogância. No entanto, a desconfortável aliança é forjada e os conduzirá dos pântanos para a colina íngreme, onde o último exército saxão lutará pela existência da Inglaterra. 

 Resenha:


 Nesta continuação magnífica de O Último Reino (clique aqui para ler a resenha do primeiro livro), podemos ver o melhor de Bernard Cornwell, as descrições das lutas repentinas, a complexidade dos personagens desenvolvidos no primeiro livro.
 No segundo volume dessa série, Wessex é dominada pelos dinamarqueses e Alfredo se vê perdido, buscando refúgio no pântano com a proteção e o juramento de Uhtred. Nesta perfeita continuação, Uhtred tem a missão de reconquistar toda uma nação com a ajuda de poucos cavaleiros.
 Não posso negar que Bernard Cornwell é meu escritor favorito, tem uma descrição digna de nota e uma narrativa que beira a perfeição, personagens complexos fazem a trama única e desprovida de clichês. Mortes se tornam comuns, e talvez seja esse o significado do nome do livro.

 Depois de escalar meu conceito de melhor autor, posso dizer que esse livro é um épico, e que além de envolver o leitor na trama, é baseado em fatos reais. E é uma leitura indispensável para todos os futuros vestibulandos.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Cilada #Resenha

Postado por O Livreiro² às 16:21 5 comentários
  Sinopse: Haley McWaid tem 17 anos. É aluna exemplar, disciplinada, ama esportes e sonha entrar para uma boa faculdade. Por isso, quando certa noite ela não volta para casa e três meses transcorrem sem que se tenha nenhuma notícia dela, todos na cidade começam a imaginar o pior. O assistente social Dan Mercer recebe um estranho telefonema de uma adolescente e vai a seu encontro. Ao chegar ao local, ele é surpreendido pela equipe de um programa de televisão, que o exibe em rede nacional como pedófilo. Inocentado por falta de provas, Dan é morto logo em seguida.


Na junção dessas duas histórias está Wendy Tynes, a repórter que armou a cilada para Dan e que se torna a única testemunha de seu assassinato. Wendy sempre confiou apenas nos fatos, mas seu instinto lhe diz que Mercer talvez não fosse culpado. Agora ela precisa descobrir se desmascarou um criminoso ou causou a morte de um inocente.

Resenha:


Cilada é um livro extremamente chato, cada capítulo traz uma suposta nova surpresa e tudo isso para no próximo capítulo desmentir tudo. Mas o real problema é a demora, embora não seja um livro grande, temos uma letra pequena com capítulos extensos, detalhes que não fazem a diferença na trama e vários clichês.

Nesta resenha decidi não apresentar a vida dos personagens, porque é extremamente boba, sendo feita de personagens claramente mal-elaborados e alguns simplesmente ridículos. Não fui cativado pela obra do famoso e aclamado Harlen Coben e toda sua escrita pouco surpreendente.

Fiquei realmente surpreso por esse livro ser da Editora Sextante que tem uma qualidade impressionante de livros, sendo, na minha opinião, uma das melhores editoras do Brasil. É um livro industrializado pelos assuntos polêmicos, pseudo-moralista e extremamente ruim.

Já vi vários outros blogueiros quase declarando amor ao livro, mas esse não foi o meu caso, e como tento ser fiel em minhas resenhas digo mais uma vez... Achei um livro previsível, extremamente não recomendado e cheio de clichês sem sentidos.

Poderia terminar dizendo que vou dar mais uma chance ao autor, mas acho que não. Como já disse, é um livro industrializado, feito somente para o lucro, com assuntos polêmicos, mas uma trama simples.
 

Confins da Leitura Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos