quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Promoção: Páscoa Literária Premiada

Postado por Pamela Moreno Santiago às 14:07 20 comentários

        Boa tarde leitores do blog. Como vocês estão? Trago hoje a promoção Páscoa Literária Premiada, que tem como participantes quatro blogs representando, respectivamente, os quatro livros abaixo:

- Confins da Leitura: Al-Aisha
- Stories and Advice: O Começo do Adeus
- Imaginayre: Cruzando o Caminho do Sol
- O Diário do Leitor: Escola - Os Piores Anos da Minha Vida

            Serão dois sorteados e os livros serão enviados conforme a ordem da lista acima e dos sorteios.
           Como regra principal para que o formulário do Rafflecopter seja habilitado, você deve seguir os quatro blogs publicamente, colocando o nome de seguidor que você usou para os quatro.
               O sorteio se inicia hoje (30/01) e se encerram em 20 de março.
            Boa sorte!

domingo, 20 de janeiro de 2013

Resenha: O Beijo das Sombras

Postado por Pamela Moreno Santiago às 12:52 2 comentários



O Beijo das Sombras – Volume 1 da série Academia de Vampiros
Autora: Richelle Mead
Editora: Nova Fronteira
Nota:

Sinopse: Lissa Dragomir é uma adolescente especial, por várias razões: ela é a princesa de uma família real muito importante na sociedade de vampiros conhecidos como Moroi. Por causa desse status, Lissa atrai a amizade dos alunos Moroi mais populares na escola em que estuda, a São Vladimir. Sua melhor amiga, no entanto, não carrega consigo o mesmo prestígio: meio vampira, meio humana, Rose Hathaway é uma Dampira cuja missão é se tornar uma guardiã e proteger Lissa dos Strigoi - os poderosos vampiros que se corromperam e precisam do sangue Moroi para manter sua imortalidade.
Pressentindo que algo muito ruim vai acontecer com Lissa se continuarem na São Vladimir, Rose decide que elas devem fugir dali e viver escondidas entre os humanos. O risco de um ataque dos Strigoi é maior, mas elas passam dois anos assim, aparentemente a salvo, até finalmente serem capturadas e trazidas de volta pelos guardiões da escola.
Mas isso é só o começo. Em O beijo das sombras, Lissa e Rose retomam não apenas a rotina de estudos na São Vladimir como também o convívio com a fútil hierarquia estudantil, dividida entre aqueles que pertencem e os que não pertencem às famílias reais de vampiros. São obrigadas a relembrar as causas de sua fuga e a enfrentar suas temíveis consequências. E, quem sabe, poderão encontrar um par romântico aqui e outro ali. Mais importante, Rose descobre por que Lissa é assim tão especial: que poderes se escondem por trás de seu doce e inocente olhar?
Richelle Mead dá uma nova face à literatura vampiresca com este romance: mais ácida, apimentada e inteligente do que nunca, a saga dos Moroi e seus guardiões surpreende pelas reviravoltas e pela ousadia desses cativantes personagens.


            Sempre procurei comprar os livros da série Academia de Vampiros, mesmo antes de Crepúsculo. Mas o fato da história criada por Stephenie Meyer ter me decepcionado fez com que adiasse qualquer livro que tratasse do assunto. Foi com a leitura de O Punhal que esta vontade voltou e não pude deixar de aproveitar a promoção do Submarino em que você comprava três livros e pagava por dois. E o valor deste foi surpreendente: R$12,90 apenas.
            No começo, a história da Moroi Lissa era fraca, sem sal. Demorei até encontrar no livro um ponto positivo que me fizesse passar horas lendo. E isso aconteceu quando estava quase na metade. A partir daí a leitura se tornou mais prazerosa. E confesso: queria um Dimitri em minha vida. Ô homem de verdade, rs. O sentimento que Rose nutre por ele por vezes é retribuído, mesmo que de maneira inconsciente e recatada.
            Gostei muito de ler o primeiro livro da série, e fiquei deveras curiosa pelo segundo, principalmente pelo desfecho da obra.
            No Brasil, foram publicados os cinco primeiros volumes, sendo o último lançado no início deste ano. Todos pela editora Nova Fronteira, seguindo esta ordem:


- O Beijo das Sombras;
- Aura Negra;
- Tocada pelas Sombras;
- Promessa de Sangue;
- Laços do Espírito.


             Mal vejo a hora de começar o segundo livro (assim que adquirir-lo)! E fica super indicado para aqueles que gostem de suspense, romance, sangue e claro, vampiros!

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Resenha: Estilhaça-me, por Tahereh Mafi

Postado por Pamela Moreno Santiago às 20:42 2 comentários



Estilhaça-me
Autora: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Nota: 

Sinopse: Juliette não toca alguém há exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser um guerreiro.

Resenha


            Desde o início, percebi através das características da personagem, que ela se assemelhava a um personagem que existe em X-Men, mais precisamente a “Vampira”, que absorve os poderes de outros “mutantes”. Esse fato se consagrou nas últimas páginas:

Na realidade, é inesperadamente fácil vesti-lo ... como se ele fosse desenhado para o meu corpo. Há um forro embutido onde devam estar as roupas íntimas, suporte extra para o meu peito, um colarinho que vai até meu pescoço, mangas que tocam meus pulsos, pernas que tocam meus tornozelos, um zíper que liga tudo. É do mais vivo tom de roxo; justo, mas de modo nenhum apertado. Ele permite respirar, e é extraordinariamente confortável.
[...]
- Não – sussurra ele, quente quente quente contra os meus lábios. – Você parece um super-herói.
[página 299 - capítulo 50]

            A escrita de Tahereh é doce, e bem típica para uma adolescente de 17 anos. Afinal, a história da vida de Juliette é narrada por ela mesma. Durante a narrativa, diversos trechos são repetidos sequencialmente, e outros mais são cortados ao meio, como aparece na capa e contra-capa.

O livro é muito bem estruturado e a diagramação interna é impecável. A cada capítulo, além da numeração, há um jogo de estilhaços.
Quanto à história, o envolvimento inicial de Juliette e Adam não dá indícios de que o rumo se daria daquela maneira. Mas fiquei deliciada como se tornou a história a partir de então. O amor e capaz de surgir mesmo em dias de luta.
Já a relação de poder de Warner sobre ela, a fazendo refletir e chegar até a achar que era um monstro me deixou com um baita ódio.
Espero ansiosamente a continuação!

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

O Nome do Vento #Resenha

Postado por O Livreiro² às 13:54 4 comentários
   Acomode-se, caro amigo! Encontre um bom lugar nessa taberna modesta - porém limpa - encha seu copo com um adocicado hidromel, ou quem sabe um licor de amora, deixe as donzelas de lado por um momento - ainda que seja difícil realizar tal feito - e prenda sua atenção em nossa única atração: o vento.
     Faça bons amigos, ouça a música, deixe que o dedilhar do alaúde te guie por essa aventura. ConheçaKvothe, o filho de uma trupe, mágico, sábio e tolo ruivo que aprendeu de formas interessantes o valor que se pode ter um amigo, um inimigo... E uma linda garota cuja beleza é tão perigosa quanto o canto de uma sereia.


http://www.editoraarqueiro.com.br/upload/livros/Nome_do_vento_SITE.jpg
Título: O Nome do Vento
Autor: Patrick Rothfuss
Editora: Arqueiro
 
Sinopse: Ninguém sabe ao certo quem é o herói ou o vilão desse fascinante universo criado por Patrick Rothfuss. Na realidade, essas duas figuras se concentram em Kote, um homem enigmático que se esconde sob a identidade de proprietário da hospedaria Marco do Percurso.
Da infância numa trupe de artistas itinerantes, passando pelos anos vividos numa cidade hostil e pelo esforço para ingressar na escola de magia, O nome do vento acompanha a trajetória de Kote e as duas forças que movem sua vida: o desejo de aprender o mistério por trás da arte de nomear as coisas e a necessidade de reunir informações sobre o Chandriano – os lendários demônios que assassinaram sua família no passado.


  Quando comecei a ler esse livro, descobri que são poucas as histórias de hoje que conseguem me prender dessa forma. Obrigado, editora Arqueiro. O livro é extraordinário!


"Meu nome é Kvothe, com pronúncia semelhante à de 'Kuouth'. Os nomes são importantes, porque dizem muito sobre as pessoas. Já tive mais nomes do que alguém tem o direito de possuir."
Capítulo 7, Página 58


  Nomes. Tudo tem um nome e, se chamado da maneira certa, obedecerá à sua voz. Assim começou a aventura de Kvothe, um menino sábio que, um dia, apaixonou-se pela força do vento, e desde então desejou ser um Arcanista.
  Kvothe recebeu, depois de muita insistência, um cronista que viera de longe conhecer o famoso Matador do Rei. Até aquele dia, o jovem ruivo escondia sua identidade sob a forma de Kote, o dono da hospedaria Marco do Percurso e admirador da arte. Ao lado de seu aluno Bast, mantinha segura sua identidade, mas seu passado era conhecido, ao menos em partes, pelo Cronista.
  Kvothe, depois de muito pensar, decidiu contar sua história ao hóspede. Três dias, era tudo o que precisava para narrar sua história. No primeiro dia, O Nome do Vento seria contado. 

 O pequeno Kvothe viajava com seus pais e a trupe Edena Ruh, um grupo de artistas, músicos, malabaristas - uma espécie de circo itinerante financiados por um respitado mecenas, Lorde Greyfalla. O menino curioso de cabelos ruivos aprendeu cedo a tocar um alaúde, era inteligente e conhecia inúmeras peças teatrais. Era uma pérola, uma raridade sob a forma de uma criança de onze anos.
  Em uma de suas jornadas ao lado da trupe, ele conheceu Abenthy, um arcanista conhecedor de muitas ciências e admirador da arte. Ben, como era chamado, tornou-se rapidamente amigo de Kvothe e, com isso, passou a viajar ao lado da trupe, arranjando os efeitos visuais através de suas habilidades em química. O químico contou ao menino sobre a Universidade Arcanum, ensinou-o sobre os elementos minerais, o Alar, simpatias e outros talentos que envolviam magia. Ben enxergava no garotinho viajante uma mente rara e brilhante, capaz de aprender tudo em uma velocidade assustadora. Assim Kvothe tornou-se aprendiz do arcanista.
 Mas as amizades numa trupe podem durar pouco. Ben, certo dia, precisou abandonar o grupo, mas conversou com os pais de Kvothe antes, na tentativa de convencê-los a levar o menino à universidade. Após a despedida, a trupe seguiu sua direção. O menino ruivo sentiria saudades, mas sua dor estava longe de acabar.
  Em uma das paradas, o acampamento da trupe fora atacado por um grupo perigoso, o Chandriano. Para muitos, era apenas uma lenda. Mas Kvothe, naquela noite, descobriu ser verdade, um pesadelo tão vivo quanto ele próprio. O fogo azul, a madeira podre, mortes, tudo era sinal de que o Chandriano estava por perto, aparição essa que o separou de sua gente, sua família. Esse encontro causaria no jovem Edena Ruh um desejo de vingança que o acompanharia como sua própria sombra.

   Kvothe, após seu encontro com Os Sete (ou Chandriano), passou dia após dia em grande dor, sofrendo o abandono, a violência de uma sociedade que não era capaz de enxergar no menino nada além de roupas esfarrapadas e cabelos sujos demais. O menino cresceu em uma grande cidade turbulenta, Tarbean, e fez amigos e inimigos, aprendeu a roubar, mentir, a se defender. Mas sua mente nunca deixara de lado a ideia de ser um arcanista, como seu tutor Abenthy.
  Seus esforços o levaram à Universidade Arcanum. Lidando com a pobreza de forma bastante criativa, Kvothe conheceu bons amigos, ganhou a simpatia de muitos, mas comprou briga com Ambrose, um aluno rico e perigoso, além de despertar o ódio em um dos professores.
  Não apenas isso. Anos depois reencontrou uma garota que conhecera em uma de suas viagens anteriores. A menina despertou no garoto um amor secreto, tênue porém duradouro. Logo, ela ocuparia a mente do jovem ruivo, e isso poderia ser o suficiente para lhe trazer um bocado de problemas.
  Na busca pelo conhecimento e vingança, Kvothe vai desbravar um mundo completamente novo, mas que se mostra cada vez mais receptivo à mente brilhante de um Edena Ruh com inclinações para  magia.
    

     "- Deixe-me dizer uma coisa antes de começar. Já contei histórias no passado, pintei quadros com palavras, contei mentiras terríveis e verdades ainda piores. Certa vez toquei as cores para um cego. Passei sete horas tocando, mas, no fim, ele disse que conseguia vê-las: o verde, o vermelho e o dourado. Acho que aquilo foi mais fácil do que isto. Tentar fazer com que vocês entendam, sem nada além de palavras. Vocês nunca a viram, nunca ouviram sua voz. Não têm como saber."
Capítulo 48, Página 313


  Assim Kvothe descreve sua amada, e assim descrevo o que senti por essa história. Um universo fantasioso capaz de te desagradar, provocar e encantar. E, em inúmeras vezes, você se vê rindo e chorando ao lado de Kvothe, torcendo por ele, e contra todos os seus inimigos.
  A narração é rica, com detalhes necessários no momento certo. Existe uma alternação em alguns momentos. Predominantemente, a história é escrita em primeira pessoa, narrada pelo próprio Kvothe. Em outros momentos, é escrita em terceira pessoa, o que dá um ar original e permite ao leitor assumir várias posições ao acompanhar as aventuras do Matador do Rei. A diagramação do livro é excelente e, embora tenha um ou outro erro de impressão, isso não é o suficiente para apagar a marca que Patrick Rothfuss irá deixar em você depois de ler.
  O Nome do Vento não precisa de mim para dizer que a história é excelente. Com uma narração fluida e envolvente, personagens humanos e capazes de despertar tudo em nós, da simpatia à aversão; do amor ao ódio. Rothfuss é, oficialmente, um dos melhores escritores que já li até hoje e, com certeza, a Crônica do Matador do Rei é extraordinária, nos levando ao sentimento provocado pela música, aos vilarejos atrasados e supersticiosos e, até mesmo, aos dragões vegetarianos.
  Se, em algum momento, você pensar que a história está se tornando cansativa, não se engane. Kvothe tem esse jeito de entediar o leitor quando ele mesmo está entediado. Mas suas aventuras seriam capazes de te manter acordado uma madrugada inteira, só pra saber se seu grando amor, afinal, será sua prometida ao fim do primeiro dia.

 Nada como uma boa leitura, fantástica e irreverente. Dramática e engraçada de ponta a ponta! Leiam, apreciem cada capítulo. Meu único arrependimento é de não ter lido esse livro antes xD
Ótima leitura, pessoal! Fiquem na Paz!

 Resenha de Inspirados, por Pedro Almada.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Resenha: As Flores do Mal

Postado por Pamela Moreno Santiago às 22:59 0 comentários

As Flores do Mal
Autor: Charles Baudelaire
Editora: Martin Claret
Nota: 5/5

Sinopse: O poeta crítico francês Baudelaire inventou uma nova estratégia da linguagem, incorporando a matéria da realidade grotesca à linguagem sublimada do romantismo, criando, dessa maneira, a poesia moderna. Sua obra-prima é o livro As Flores do Mal, cujos poemas mais antigos datam de 1841. Além de celeuma judicial, o livro despertou hostilidades na imprensa e foi julgado, na época, imoral.



            Através de versos metrificados e rimados, típicos do Parnasianismo, Charles Baudelaire escreve a obra As Flores do Mal. Os temas dos poemas vão desde o sublime, ao indecoroso. Sua primeira edição foi em 1857, e a segunda em 1861. Após a publicação da primeira edição, os seis conjuntos de poemas delimitados abaixo tiveram de ser retirados da obra, como forma de censura:

            - Lesbos
            - As joias
            - O Letes
            - A que está alegre
            - Mulheres condenadas
            - As metamorfoses do vampiro

            E depois de lê-los, descobri o porque foram cortados e somente recolocados em versões mais atuais. O próprio nome do poema “Lesbos” traz a simbologia que dá origem a palavra lesbianismo.
            Já havia estudado Charles Baudelaire na faculdade, quando estudei a segunda geração romântica, pois foi origem e inspiração de autores, como Álvares de Azevedo.
            É indicado para todos que gostam de poesia na sua mais pura realização.

"Lesbos, terra das quentes noites voluptuosas,

Onde, diante do espelho, ó volúpia maldita!

Donzelas de ermo olhar, dos corpos amorosas,
Roçam de leve o tenro pomo que as excita;
Lesbos, terra das quentes noites voluptuosas,"


                                                                                            [trecho extraído de "Lesbos".]

domingo, 6 de janeiro de 2013

Resenha: Bruxas, Bruxos e os feitiços mais cruéis que se podem imaginar

Postado por Pamela Moreno Santiago às 22:26 2 comentários


Bruxas, Bruxos e os feitiços mais cruéis que se podem imaginar
Tradução por: Vilma Maria da Silva; Inês A. Lohbauer
Seleção de: Joseph Jacobs
Editora: Martin Claret
Nota: 5/5


Sinopse: Este livro apresenta ao leitor 10 contos sobre bruxas, bruxos e seus feitiços. São contos da cultura celta que foram recolhidos da tradição oral e recontados por Joseph Jacobs.



Tive o prazer de receber em casa a cortesia da Editora Martin Claret, a qual consegui esplendorosa parceria neste finzinho de ano. Pude também escolher o título que receberia, e escolhi este, que aborda os contos de fadas celtas, mais especificamente sobre bruxos e bruxas, pois a capa e a sinopse me encantaram.
Fiquei receosa ao recebê-lo, pois não sabia ao certo se gostaria mesmo do conteúdo do livro, mas assim que comecei a lê-lo, pude perceber que a história fluiu naturalmente, com palavras simples e enredo contínuo.
O livro tem cerca de 133 páginas e uma introdução cujo título me instigou muito: Por que ler contos de fada , escrito por Taís Gasparetti. Realmente, é uma pergunta feita por muitos quando os filhos são pequenos, por exemplo. Creio que os contos de fada fazem parte de um patrimônio histórico compartilhado por todo o mundo, por isso sua existência não pode ter um fim.
Ainda acerca da composição do livro, são dez contos celtas, que abordam sempre o uso de feitiços e magia, nem sempre de forma positiva. Em todos os contos, a ilustração não foi perdida, havendo sempre uma representação em forma de desenho sobre o que se está falando.
Foi um livro que gostei bastante de ler e me prendeu muito. O tamanho ajudou bastante, pois livros muito grandes tem a tendência de se tornarem chatos com o passar das páginas e da história, se o autor não souber manter as expectativas sobre os fatos.
Este é o segundo livro lançado sobre a coleção Contos de fadas: Celtas. O primeiro foiPrincesas e damas encantadas e os próximos serão Heróis muito espertos e Duendes, gigantes e outros seres mágicos.

sábado, 5 de janeiro de 2013

Por que lemos sobre o amor?

Postado por O Livreiro² às 15:51 2 comentários
 O amor é puro, o amor é simples, mas ao mesmo tempo complexo, tão complexo que nem mesmo as palavras mais belas dos poetas mais inspirados conseguiria transcrever um pedaço desse sentimento.
 Porém, nós, humilde leitores e escritores, tentamos de todas as formas entender o amor, tentamos entender o significado do prazer em ver aquele que ama sorrir pra você ou ainda aquela sensação eletrizante que lhe toca quando sua mão roça na do seu amor. Posso ainda citar os seus olhos brilhando quando você vê uma pessoa que ama depois de muito tempo sem se ver, não precisa ser necessariamente seu namorado, pode ser apenas um velho amigo ou um parente há muito esquecido. Posso citar ainda aquele sentimento desesperador da saudades, de você saber que vai demorar para ver quem você ama novamente, mesmo que esta pessoa esteja nitidamente na sua memória em todos os instantes. 

 Os maiores autores dizem que o amor é uma flor, afinal às vezes machuca, bastante. Mas pense nos girassóis, eles não fazem um campo mais bonito? Pense nas rosas, elas podem machucar com seus espinhos, mas não são tão belas? Amor é o que eu gostaria que sentissem por mim, todos os dias, todas as horas, todos os instantes.

Eu acredito que o amor tudo supera, não digo que desafios e brigas não haverão. É muita pretensão querer construir a mais bela torre do mundo sem deixar nenhum tijolo quebrar. 

Faz muito que tento entender a diferença do amar, gostar, apaixonar. Cheguei a pura conclusão que se apaixonar é ilusório, é o simples consumismo jogado ao amor. Quando você gosta de uma pessoa são somente as sombras do amor, o começo de uma história que pode acabar do jeito que você quiser, tudo depende de você.

Se você ama, seja você mesmo. Sei que às vezes você gostaria de ser diferente, eu mesmo tenho vergonha de ser o que sou e como sou, todos temos, você não pode forçar uma pessoa a te amar, só pode dar bons motivos para que ela o ame.

Não se desespere, assim que ler esse texto não vá correndo dizer pra seu amor que o ama, apenas trate-a melhor, seja melhor. Se você é casado ou namora, reflita em como você é sortudo, dentre bilhões de pessoas nesse mundo onde todos são diferentes, você encontrou a pessoa que te completa mesmo que ela seja extremamente diferente que você, ela ainda consegue te fazer sorrir. Vá até a floricultura mais próxima e mande entregar rosas na casa dela ou vá até a casa dele. 

Te desafio a dizer que ama quem você ama, este é o único jeito de se construir uma história de amor. Arrisque-se. Você não ganha um jogo, se você não aposta algo.

" Desse amor ninguém jamais saberá formulas ou definições, apenas sentirá, a dor e alegria de amar..."


 ATUALIZAÇÃO 09/01

Não leve em conta o que eu disse nos penúltimos parágrafos, vá e diga a sua amada que a ama porque talvez amanhã seja tarde demais. Sem mais. Seja feliz com ela.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Leituras da Semana #1

Postado por Pamela Moreno Santiago às 11:47 2 comentários

Bom dia leitores! Tudo bem com vocês?
Sou a Pamela, colaboradora aqui do Confins da Leitura e hoje trago uma nova coluna para o blog: Leituras da Semana. Nela, abordarei um pouco sobre o que estou lendo, além de mostrar-lhes a capa e a sinopse de cada livro. 
Então vamos conferir o que tem de bom nesta semana?

Tenho o costume de ler vários livros ao mesmo tempo, quase sempre um de parceria e um que eu já tenha na estante, para aliviar as tensões e distrair um pouco.

 Adormecer do Fogo
Autor: Ben Green
Editora: Dracaena

Sinopse: Haverá um tempo em que os povos verão os dragões como deuses e as criaturas da floresta como demônios. As guerras se espalharão como pragas. Amigos e irmãos irão se reconhecer somente como inimigos. O mundo se dividirá entre aqueles que creem e os que desprezam as criaturas aladas. Adormecer do Fogo é o primeiro livro da saga do Império a Ferro e Fogo. Tem o início nas montanhas devastadas pelo frio congelante. Quando mulheres são obrigadas a ceder seus corpos à libido de homens brutais. Filhos não conhecem seus pais. Crianças são mutiladas. E o amor, inexistente. Quando a chama sagrada se apaga, só o que lhes resta é atirar-se ao desconhecido e encontrar a salvação. Sabendo que tudo dependerá somente de sua interpretação dos escritos antigos, Ri-zir, a escriba da tribo, se vê na difícil tarefa de guiar um grupo de caçadores em busca de uma nova chama. Através de seu olhar, a história se desenrola ao redor e no interior das personagens. Enfrentando perigosas aventuras e situações impossíveis, passam a questionar o sucesso da missão. E mais ainda, sua própria sociedade bárbara. Rodeados pelo medo da extinção, alguns colocam em cheque os antigos costumes. Será aquela, a melhor forma de se viver? As mulheres devem mesmo ser tratadas assim? Estariam certos ao negarem a si próprios a existência do amor? Quais serão os dois irmãos que darão origem aos dois grandes impérios que se enfrentarão em sangrenta guerra através das décadas? A única certeza é que precisarão manter suas forças diante dos perigos e espantar de vez a sombra mortal. 

Por um Momento Apenas
Autora: Bella Andre
Editora: Novo Conceito

Sinopse: Durante 36 anos, Marcus Sullivan fora o irmão mais velho, ajudando a cuidar de seus sete irmãos após a morte do pai, quando ainda eram crianças. No entenato, quando o futuro perfeito que ele planejara para si próprio transformou-se em nada além de uma mentira, Marcus precisa de uma noite de loucura para se esquecer de tudo. Nicole Harding é conhecida no mundo todo por apenas um nome – Nicky – graças à sua música pop contagiante. No entanto, o que ninguém sabe sobre essa cantora de 25 anos é que sua imagem de símbolo sexual é totalmente falsa. Depois de ter sido terrivelmente traída por um homem que amava a fama mais do que a ela, jurou nunca mais deixar ninguém se aproximar a ponto de descobrir quem ela realmente é ... ou de magoá-la novamente. Principalmente aquele homem maravilhoso que Nicole conhecera em uma boate, ainda que o desejo – e as promessas transgressoras – em seus olhos negros a fizessem querer revelar todos os seus segredos. Uma noite é tudo o que Nicole e Marcus concordam em compartilhar um com o outro. Contudo, nada acontece como planejado quando, em vez de uma simples relação carnal, descobrem-se ligados de uma forma pela qual nenhum dos dois esperava. E, embora tentassem lutar contra isso, os sentimentos incontidos – e a atração profunda – os aproximava cada vez mais. Bella Andre nos presenteia com o segundo volume desta série sensual e romântica, em que o amor pode tornar um simples encontro algo quente para sempre ...

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

O Pistoleiro #Resenha

Postado por Livreiro às 10:52 9 comentários

 Meu primeiro livro de Stephen King e tenho que falar algo. Mas o que falar de um livro onde a introdução já me conquista?

 Em um distópico futuro, somos apresentados a Roland, O Pistoleiro, que vaga pelo mundo com apenas um objetivo, matar O Homem de Preto, seu maior e único inimigo.

 A Torre Negra permanece um mistério, um portal que conecta mundos, a chave do paraíso e também a chave do inferno. Na viagem a procura desse grande mistério, Roland conhece novas pessoas, faz novas amizades, mas principalmente novos inimigos. Como o ser indecifrável e ambíguo que é, Roland está sempre envolto de mistérios e paixões, morte e sangue.

 A série de livros A Torre Negra mostra um primeiro volume indecifrável, original e encantador, Stephen King consegue bordar as primeiras pontas de uma aventura que encanta milhões de pessoas ao redor do mundo com sua narrativa cautelosa e ao mesmo tempo aventureira, agressiva e ao mesmo tempo poética.

 Como em uma receita, Stephen King vai aos poucos acrescentando os ingredientes, que resulta em um terror eletrizante. E uma batalha religiosa em nossas cabeças. Um autor que junta as tramas de uma história que, ao começo, parece aparentemente sem sentido e enlaça cuidadosamente a cabeça do leitor numa narrativa aterrorizante.

 Perfeito.

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Desafio: Um Clássico por Mês

Postado por O Livreiro² às 23:23 1 comentários
VOLTAMOS. \o\ 



 Primeiro dia do novo ano. \o/ O blog voltou... E voltou com um desafio proposto pelo blog Meninas e seus Livros. Aqui ela fala um pouco sobre o desafio:

 "Objetivo.
Como o próprio nome já diz, o objetivo é ler um clássico por mês durante o ano de 2013.

 Como vai funcionar?
Para participar é beeeeeem simples, basta comentar nesse post com o seu nome e, se tiver, o link do seu blog (só para eu ter controle dos participantes), entrar nesse link (clique aqui) e escolher doze dos cem clássicos apresentados. Você pode escolher os doze agora, ou escolher um a cada mês.
Se você tiver um blog, e quiser ajudar a divulgar o projeto, cole o banner no blog ou faça um post falando sobre o desafio.

Todo mês eu farei um post falando sobre a minha leitura, fiquem à vontade para comentar sobre as suas leituras também."

Minha humilde listinha:

1 - Crepúsculo - Stephenie Mey...

[Risos.] Agora sério.

1 - Um Estudo em Vermelho - Sir Arthur Conan Doyle
2 - Otelo, o Mouro de Veneza - Shakespeare
3 - Ilíada - Homero
4 - Tartufo - Molliére
5 - Alice no País das Maravilhas - Lewis Carroll
6 - A Volta de Sherlock Holmes - Sir Arthur Conan Doyle
7 - Histórias Extraordinárias - Edgar Allan Poe
8 - Memórias Póstumas de Brás Cubas - Machado de Assis
9 - Admirável Mundo Novo - Aldous Huxley
10 - Moby Dick - Herman Melville
11 - 1984 - George Orwell
12 - As Viagens de Gulliver - Jonathan Swift

É isso, participe você também e poste nos comentários quais irá ler e o link para a resenha. :3
 

Confins da Leitura Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos