sexta-feira, 11 de maio de 2012

Festim de Algozes #Poema

Postado por O Livreiro² às 19:31

Escondidos nas trincheiras
Fazendo um festim de algozes
Mergulhados no mal
Indiferentes as suplicantes vozes

Venha aqui ao vosso reino
Seja feita nossa vontade
Escondidos sobre orações
Harmoniosa tríade

Desumanos condenando inocentes
Adeus as palavras de misericórdia
O mal novamente se faz presente
Trucidemos a concórdia

Desce o sangue na garganta
Esqueçamos os Quixotes
O sonho de beleza e glória
Esqueçamos os algozes
E vivamos na infâmia

1 comentários:

Leticia Barros on 22 de maio de 2012 21:09 disse...

Ah, como eu disse eu amei o poema, e acredito que vc tenha talento sim, pena que esse é um gênero que as editoras pouco acreditam aqui no país, sendo que temos ótimos poetas, é só sobrenatural sobrenatural, cansa mesmo.

Bjs,
Le, BML.

Postar um comentário

O seu comentário é importante para nós. Comente. :)

 

Confins da Leitura Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos